Espelhos

Olhares no espelho
Como nomes escritos no ar
As faces dos fatos
Que não pode esquecer
Nem ignorar
As faces familiares
Das facetas que foi e será
Mil faces e um destino
Mil destinos sobre a mesma face

Mentiras polidas em face espelhada
Creditos de quem acredita
Nos olhos que que veem o que não se esconde
Procurando sempre um amparo
Mesmo que ilusório
Enquanto as esperas passam
E os erros incompreendem-se em si mesmos

Olhares espelhados
Onde não mais me vejo
Onde não mais me lembro
Não de ti
Que estás sempre em meu olhar
Mas de mim mesmo
Iludido pelos seus olhos
Ao sentir sua presença
Antes sozinho em minha propria escuridão
(??/??/2005
– 12h42min 21/01/2010)

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Poesias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s