Conto Para um Dia de Chuva

A chuva cai pesadamente sobre o descampado, a armadura pesa sobre os ombros cansados, a espada recém lavada com sangue agora descansa em sua bainha, o escudo, preso ao braço esquerdo, repele as gotas de chuva nas fendas de madeira e aço, abertas por golpes de espadas poucas horas antes. Até pouco tempo atrás os gritos de guerra e dor eram tudo o que se ouvia. Agora reina o silencio sobre o corpo cansado que luta para continuar sua jornada sem rumo. Sua respiração ofegante é uma súplica, seu andar lento e arrastado mostra o que não queria acreditar ser verdade, que, por mais que tente esconder de seu coração, agora está sozinho e sem rumo.

Ao caminhar para a parte mais alta do platô se deixa cair na grama molhada. Pesadelos o confrontam semi-acordado, a febre e o cansaço o consomem, a grama é sua cama, a tempestade é seu teto. Em um movimento tortuoso e cansado ajoelha-se olhando para o chão. Consolado pela chuva o nobre guerreiro retira seu elmo e o coloca a sua frente fazendo menção de procurar algo. Retira da parte superior do elmo um objeto pequeno e brilhante, um anel. Descansa sua mão direita no punho da espada acariciando o anel dourado com os nós dos dedos.

Ele o coloca em sua mão esquerda, alimentando agora a lembrança daquela que um dia lhe ofertou seu coração, antes presente, a alma de seu amor, quente e aconchegante, agora uma mera lembrança sob a chuva fria, uma chama persistente que ainda teima em aquecer seu coração machucado. Seus longos cabelos grudam-lhe no rosto, recoloca o elmo e se levanta pesadamente, ainda tem que andar mais um pouco. A chuva cai cada vez mais forte, o tempo está passando, mas ainda não está derrotado.

Uma bela jovem caminha silenciosa por um salão vazio. Tudo está quieto e a sensação inconfundível de tristeza no ar é fato presente. Ela espera paciente na varanda do palácio aquele que prometeu retornar e desposá-la, aquele que a tornará rainha, e viverá para sempre ao seu lado. A tempestade ao longe, uma sombra negra no horizonte, atravessa a retina e um presságio a toma de assalto. Seu rosto, de uma beleza imaculada, derrama lágrimas de medo e dúvidas ao pensar que o homem que tanto ama pode nunca mais voltar.

A jornada é longa, tudo tem um começo, por isso é injusto que não tenha um fim. A chuva parou, mas tudo está molhado, a grama do platô brilha anunciando o que ocorreu ainda a pouco, amanheceu, mas as nuvens negras que sobraram ainda mantêm o aspecto sombrio, um corpo ao chão, o sofrimento dos deuses que choram pela alma do nobre guerreiro, que jaz sem túmulo, nem orações…

Uma jovem caminha apreensiva para cima da colina, seu vestido branco reluzindo como o orvalho das folhas da grama, seu rosto ansioso e triste como se sentisse algo ruim. Ao chegar ao nível mais alto do platô, ela, chorando, vê seu amado caído e corre para perto de seu corpo, ela o abraça inerte, chorando todas as suas mágoas e o amor que antes não pode compartilhar. Ela beija a boca sem vida de seu amado para poder sentir seu gosto pela ultima vez, e num ato instintivo procura sua mão e encontra o anel que dera a ele como a promessa de que voltaria para casa, que voltaria para seus braços.

Ele enfim voltou, mas não como ela queria. Quando ela para de chorar um pouco percebe que não há mais nada a se fazer. O dia se passa e ela fica ali parada, com o corpo do amado guerreiro em seus braços até que um de seus empregados a encontra no fim de tarde, olhando para o horizonte com olhos vazios. . 07/10/2005

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Contos

Uma resposta para “Conto Para um Dia de Chuva

  1. Dreh

    Saudoso, me causou uma sensação de ‘dejavu’

    =]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s