Autenticidades

Buscar o que é seu entre o que não é de ninguém, confrontar idéias pelo que acredita, mostrar a verdadeira vontade por trás dos teus atos. Talvez trocar pessimismos pelas mesmas palavras vazias, intolerâncias de sua vida esquecida.
Não procure em mim o que lhe falta, não culpe minhas escolhas com teus nobres vícios: pois vícios são, aristocratas em tua vã dignidade.
O que sobrou dos velhos escombros? O que queimaste pelos mesmos sonhos? Cansado tenta encontrar o que lhe chame atenção, novos vícios para alimentar os velhos, os mesmos erros ao esperar que fossem outros. Que a solidão seja teu fim, pois nos braços dos tolos deste tudo o que não possui. Implore aos teus irmãos o que me roubastes, jogue fora o que um dia deixei de te dar.
O que é autêntico não definha. Tuas palavras pouco te definem. Descanse em paz pelo sono dos justos, pois justos foram os que lhe deram a mão.
Beije as mãos que te condenam, pois delas terá a luz que não criaste. Dê dos teus lábios o sabor que nunca provaram, pois saberão que condenaram aos seus próprios infernos um pedaço do teu céu.
(01/09/2011 – 00h10min)

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Contos

2 Respostas para “Autenticidades

  1. igor

    seus textos são verdadeiras obras primas, continue postando.

  2. Renati Ignis

    “- Como atingiste a iluminação, mestre?
    – Não atingi, fui atingido!
    – E o que devo fazer para ser atingido?
    – Tente atingir!
    – Mas não vejo o alvo.
    – É porque estás olhando para mim.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s