Olhos Negros


Olhos negros de raro esplendor
Distante dos meus tão castanhos
Mantêm-se em meu zênite trêmulo
Aos pés de minha montanha de sonhos
Tentava acreditar que isso que era amor
Mas tão distante não posso te tocar
Corpos frágeis abrigam nossas almas
E seu corpo frio abriga meu desejo
Não vista por muitos
Amada por poucos
Pobres tolos como eu que cruzaram teu caminho
Que erram ao moldar seus planos fúteis
Que padecem com esse amor sem volta
Voe com as asas que forjei em tuas costas
Proteja-me com seu toque de fogo
Com suas asas tão negras como seus olhos
Voe até meu zênite
Conte-me as novidades
Agora devo dormir
Talvez sonhe contigo de novo
Como o faço sempre…
Se vista de sonhos
Cante a minha morte
Pois aos teus pés eu encerro minha devoção
Cumpra sua promessa
Ó dama de negro
Como negras são as penas de suas asas
E as pétalas da rosa em sua boca
Vele meu sonho pela ultima vez…
(??/2006
20/11/2010 – 09h16min)

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Poesias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s