Sincera


Porque eu tento tanto
E tantas vezes
Recriar teu rosto
Teu corpo
Teu toque
Teus pensamentos
Tua respiração?
De tantas formas
De todos os modos
Será que o que penso
É tão egoísta?
Se você me persegue
E no fim sempre foge
Passo dias sem sair do quarto
Perseguido por teus sonhos
Sangrando em teus braços
Nenhuma prece pode me salvar
Se Deus não me reconhece
Enquanto sepulto outro amor
Em meu peito
Meu coração é uma lápide
Fria como o seu corpo
Mas não importa
Você esqueceu o que não devia
Você traiu a si mesma
Esquecendo tudo o que disseste
Esquecendo de si mesma
Mas não importa
Você continua seu caminho
E nunca vai saber
O que tentei lhe dizer
Tantas vezes
E que pergunto uma vez mais
Pela ultima vez
Quando você vai aprender
A ser sincera consigo mesma?
(20/07/2007 – 21h01min
03/12/2010 – 12h49min)

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Poesias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s