Camila VI

VI-
Você sente apenas o que quer
E o que pensa que pode suportar
E não entende
O que eu também não entendo
Será?
Dói tanto em mim tua falta
E teus atos ainda me torturam
Mas será que isso é mesmo necessário?
Não importa
Meu amor não me culpe
Por tudo o que tive de fazer
E pelas coisas que fizeste
Pra mim não tem perdão
Não agora
Meu bem
Não me culpe nem perdoe
Eu imploro
Quis que sofresse
Pra aprender a ser
Mais sincera consigo mesma
Mas não pude suportar
Ouvir teu pranto
E mesmo que tente ensaiar
O que dizer ao telefone
Nada sai como penso
Meu peito pulsa fora de compasso
Meu coração dispara
Como quando falo contigo
Ou quando sinto teu perfume
Ou até mesmo
A simples alusão de teu nome
Tentei entender
Nossos erros
E você não quer saber
Por isso não entende
Eu te olhava me olhando
Mas não pude te ver
Olhando pra mim
Nunca resisti aos teus mistérios
E me perdi em teus encantos
Mas mesmo assim
Não pude deixar de fugir de ti
Assim como você sempre
Fugia sem dizer palavra
(03/08/2007 – 22h23min
07/12/2010 – 00h30min)

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Poesias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s