Mentir


Querida
Devo dizer que me apaixonei
Por suas mentiras
Como se fossem raios de sol
Nesse céu tão azul
E acreditando em teus olhos
Não pude evitar e realmente morri
Jogado neste chão como os papéis
Das poesias e cartas que escrevi pra ti
Minha querida como conseguiste
Conhecer-me tão rápido como se pudesse ler minha mente?
Não sei o que, mas tenho de fazer
E é verdade quando digo que tenho tentado
Tendo seus olhos sobre os meus
Leio o que se passa em sua mente
Ouço sua voz que é como a tempestade
Que conquistou meu coração que é um só
Temi, mas seguro suas mãos agora
E mostro a ti o que penso e sinto
Por favor, me beije uma vez mais
E sua respiração será minha prece
Quando me apaixonei por suas mentiras
Como raios de sol num céu de azul profundo
Trouxe flores e colocaste em meus cabelos
Não sei o que devo fazer
Mas é claro que farei por ti
E quando seus olhos me disserem o que pensas
Sua voz de trovão conquistará meu coração que é um só
E segurarei sua mão e pedirei um beijo
E não te deixarei
Não mais
(18/11/2007 – 23h00min
10/12/2010 – 12h50min)

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Poesias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s