Margarita


Esse frio que vem de teus olhos
É o mesmo da brisa noturna?
Que procuro enquanto te esqueço
Que leva meus pensamentos para longe
Coisas que não devo pensar
Coisas que não tenho direito de dizer
E que você jamais poderá saber
Que enterro em meu peito
Qual a pedra de tua alma
Que um dia carreguei em mim
Errei tanto e porque?
Tentando te fazer sorrir
Tentando mover algo para o qual não tive forças
Não sei se resta algo no ar
Se ainda tenho algo a perder
Quando quis tanto
Fugir de ti
Para que não visse o quanto sofri
E o quanto sangrei por você
Pelos seus atos
E pelos meus
Perdoe-me
Ainda te amo
E mesmo assim
Te odeio
(29/03/2009 – 23h45min
18/12/2010 – 12h57min)

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Poesias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s