Praça


Escurece
O vento frio passeia soturno
Naquela praça de céu noturno
Francas luzes, complascentes
Dançam com as plantas
E as estrelas do poente
Levanto longe o que tem em mente
Cascatas, águas turvas
Lagos negros, brancas ruas
Peixes que não sei ao certo
Pedras que me veem de perto
Os carros passam, a vida passa
Reflexos em negras águas
A velha lótus que ali permeia
Olhando a todos, sorrindo pra mim
O Budha em sua flor
De seu imenso jardim
(13/09/2011 18h54min)

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Poesias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s